quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Fabulário

"o amor é uma ponte de brinquedo
ele dança no pescoço
da manhã à noite"
(Roberto Piva)
... uma vez... a tarde esqueceu-se de partir
Os gansos não abandonaram o lago
E Modigliani pintava uma senhora feliz.

... uma vez... os bichos ousaram sorrir
Os poetas vestiram-se com pêlos de gato
E inventaram noites e luas só para si.

... uma vez... a palavra deixou-se possuir
Os signos abraçados sentiam amor de fato
E ofereci nas cartas pedaços de mim.

... uma vez... os olhos quiseram dormir
Os sonhos fizeram com o dia um trato
E misturo ao café o gosto que trago de ti.

... uma vez...
Era...





(Elliott Smith-Twilight)

(Arte: Marc Chagall - Le Paradis)

28 comentários:

  1. o que Era mas não se foi insiste, permanece!

    ResponderExcluir
  2. uma vez eu cheguei aqui e resolvi visitar sempre que possível...

    e aí, me conta como foi o casamento; levou o salto alto? hahaha

    beijos e ótima virada de ano pra vocês da ilha!

    ResponderExcluir
  3. Fabuloso, Adriana!

    Vou guardar este poema pelo menos até a meia-noite. É certeiro para fechar o ano.

    E acho que ele tem prazo de validade suficiente para fechar mais alguns anos meus. Uns cem, 120, espero...

    Felizes mil anos novos!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. uma vez...
    é a vez.
    vês?
    beijos de final de ano com lábios de optimismo e flores nos dedos de um derradeiro abraço!

    ResponderExcluir
  5. Que poema mais lindo, já vem com um sorriso, com um abraço... Tocou-me docemente =)
    Tbm gostei da escolha da tela e da música.

    Beijo, querida, feliz 2011!

    ResponderExcluir
  6. Permanecem sim, Cynthia. Mesmo que sejam apenas para povoar nossa lembrança de seres encantados que um dia cruzaram nossa realidade.

    Beijos e um 2011 maravilhoso, querida!!!

    ResponderExcluir
  7. A Mina e o Cara são por demais bem-vindos!!! (E se não vierem fazer uam visita vez em quando vou lá buscá-los pelo braço rsrsrs).

    Menino, o casamento foi show (tirando, é claro, o repertório da festa que foi de funk à pagode, daí fiquei meio deslocada musicalmente). Levei o salto alto e um vestido vermelho... Aí já viu, né!?

    Querido, Feliz 2011!!!
    Beijos...

    ResponderExcluir
  8. "Felizes mil anos novos!" Pra ti também, Tuca!!!!
    Eu espero, pelo menos, viver uns cem anos também pra desfrutar do teu astral e inteligência maravilhosos, meu amigo!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  9. Quero muito ver, Jorginho! Tudo! Com olhos de ver e sentir!!!
    E o que ainda estiver escondidinho, vou catando as pistas até conseguir enxergar.

    Beijinhos com o gosto de todas as expectativas positivas que o ano novo nos traz. E com muito pólen também!

    ResponderExcluir
  10. Larinha...
    Tu sempre chegas com esse tom de beleza que é azul, laranja e tantas cores mais.

    Adoro essa tela de Chagall. Pra mim, o paraíso é mesmo assim... Com muito azul...

    Um ano novo doce e claro, querida!!!
    Beijos...

    ResponderExcluir
  11. Obrigada pela tua doce presença no Roxo e por esse poema, lido assim no comecinho de um novo ano que desejo seja muito positivo pra ti.
    Beijo,

    ResponderExcluir
  12. O estilo faz a poetisa.
    Há muito tempo que as suas palavras foram possuídas, geraram e continuam gerando esses gerânios poéticos que me encantam quando cá venho.
    Bjs, Pólen, e felicidades mil no novel ano.
    Toma essa ilha pra você.

    ResponderExcluir
  13. uma vez que te leio sou toda sentidos...

    beijos, meu amor!

    ResponderExcluir




  14. Era argola, ferro, chibata e pau
    Era a morte, o medo, o rancor e o mal
    Era a lei da Coroa Imperial
    Calmaria negra de pantanal
    Mas o tempo muda e do temporal
    Surge o vento bravo, o vento bravo...♪


    No tempo do ERA,
    vez em quando se É!

    És fabulosa!

    :)

    ResponderExcluir
  15. Uma vez... um prazer inadiável de ler, reler contos/cantos para adultas crianças. A primeira estrofe é tão bela, mas tão bela e tão visual, que
    nela assisti a um filme inesquecível.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  16. Que venha 2011, pois
    Será o ano do Sol a iluminar. Grandes e Pequenos Passos.
    Será ano Impar unilateral
    Será o ano do Coelho multiplicador

    Plante a semente da vontade
    Regue com o dose desejo
    E terá bons frutos para colher..

    Um feliz 2011 da Insana

    OBS desculpe a ausência nas festas..

    ResponderExcluir
  17. Eras... passadas... mas sabor que inda fica, perdura, persiste e insiste... doce, suave, poético e sempre me rementendo a um universo distante e belo [tão diferente deste nosso diário cotidiano... é este teu fabulário...]

    Belíssimo, srta. raposinha... ;)

    ResponderExcluir
  18. Meu trecho preferido?!

    ... uma vez... os olhos quiseram dormir
    Os sonhos fizeram com o dia um trato
    E misturo ao café o gosto que trago de ti.


    Quisera saber onde faz pouso teu eu-poético a beber de que fonte pra trazer tal beleza ao mundo...

    ResponderExcluir
  19. Taninha,
    Que o ano de todos nós seja suave e adocicado.
    Sabias que sempre que vou ao Roxo penso e sinto o cheiro de lavanda? Ele tem uma cor muito especial pra mim.

    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  20. Meu querido Paulo Jorge,

    Tua gentileza e carinho são preciosidades pra mim!!!

    Muitos beijos...

    ResponderExcluir
  21. Cris, minha fada, minha flor...

    Ao pensar que me lês, o pólen se espalha cheio de graça e cor...

    Beijo, beijo, beijo...

    ResponderExcluir
  22. "Como um sangue novo

    Como um grito no ar

    Correnteza de rio

    Que não vai se acalmar

    Se acalmar"

    E se acalmar pra quê, não é mesmo, Tonho?!
    Bom mesmo é a poesia, esse "veneno antimonotonia" que sempre vem pra desassossegar.

    Beijos e cheiros, querido!

    ResponderExcluir
  23. Eita, fiquei toda prosa com esse "é tão bela" que escreveste aqui, Marquinho!!!

    Beijo grande, Poeta!

    ResponderExcluir
  24. Insana, querida...
    Eu é que ando meio sumida, né?! Mas é tanta coisa pra fazer...
    Um 2011 radiante pra nós. E vamos plantar sim, muitas coisas boas e que os laços virtuais e poéticos tornem-se cada vem mais firmes.

    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  25. Chico!!! Alegria grande tê-lo de volta por cá!!! Não suma tanto assim!!!

    Muito do que bebo me é presenteado cotidianamente pelos poetas (e que maravilha poder também chamar de amigos) da blogosfera.

    Depois que aqui cheguei e me encontrei, tornei-me muito mais feliz.
    Beijos, querido!!!

    ResponderExcluir
  26. o encanto no ar
    toma a minha alma
    ...

    Poema maravilhoso.

    Carinhoso beijo.

    ResponderExcluir